Coringa (Filme 2019)

em 10 de março de 2020




Joker (DC Comics)

O Joker (Coringa) é um supervilão fictício que aparece nos livros de banda desenhada norte-americanos publicados pela editora estadunidense DC Comics. Foi criado por Jerry Robinson, Bill Finger e Bob Kane e apareceu pela primeira vez em Batman  (Abril de 1940). 

Parcialmente inspirado em Gwynplaine, personagem interpretado por Conrad Veidt, no filme O Homem Que Ri (1928), os créditos para a criação do Joker são disputados; Kane e Robinson reclamam responsabilidade pelo seu desenho, apesar de reconhecerem a contribuição de Finger na escrita.

De acordo com o plano inicial, o Joker deveria ter morrido na sua primeira aparição, mas foi poupado por uma intervenção editorial, permitindo assim que o personagem fosse progredindo como o célebre arqui-inimigo do super-herói Batman.Também é conhecido por outros nomes como "Príncipe Palhaço do Crime" ou "Bobo da Corte do Genocídio".

Nas suas aparições nos livros de banda desenhada, o Joker é retratado como um gênio do crime. Introduzido como um psicopata com um sentido de humor sádico e doentio, o personagem tornou-se no final da década de 1950 um ladrão pateta e brincalhão, como resposta à regulação do "Código dos Quadrinhos" (Comics Code Authority), antes de regressar às suas raízes durante os anos de 1970. 

Como o nêmesis de Batman, o Joker tem feito parte de algumas histórias que definem o super-herói, incluindo o assassinato de Jason Todd (o segundo Robin sob a tutela de Batman) e a paralisia de um dos aliados de Batman, Barbara Gordon. 

Durante as décadas em que tem aparecido, existem várias histórias sobre a sua origem. A mais comum delas apareceu pela primeira vez em Detective Comics (Fevereiro de 1951), e envolve a sua queda para dentro de um tanque de desperdícios químicos que branqueia a sua pele, torna o seu cabelo verde e os seus lábios vermelhos; o resultado da sua desfiguração leva-o à loucura e adotou o nome "Joker", a partir da figura das cartas de jogo que ele veio a assemelhar-se. Como a antítese da personalidade e da aparência de Batman, o Joker é considerado pelos críticos como o seu adversário perfeito.

O personagem não tem habilidades sobre-humanas, mas usa a sua inteligência para desenvolver misturas tóxicas e/ou letais, bem como armamentos temáticos, incluindo cartas de jogo com pontas cortantes, campainhas de brinquedo mortais e flores de lapela que projetam ácido. Apesar de por vezes trabalhar com outros super-vilões, como o Pinguim e o Duas-Caras, e em grupos como Gangue da Injustiça e Liga da Injustiça, tais relações acabaram muitas vezes por entrar em colapso devido ao constante desejo do Joker em procurar o caos desenfreado. 

A década de 1990 introduziu um par romântico ao personagem na forma da sua ex-psiquiatra do Asilo Arkham, Arlequina, que se torna inclusive sua parceira no crime. Apesar da sua grande obsessão ser o Batman, o Joker já foi adversário de outros heróis como o Superman e a Mulher Maravilha.

Um dos mais icônicos e reconhecidos personagens da cultura popular, o Joker tem sido citado como um dos maiores vilões e personagens da banda desenhada já criados, e "muito possivelmente mais interessante que o seu homólogo super-herói." A enorme popularidade do personagem já o fez aparecer numa grande variedade de produtos, como roupa e objetos de colecionismo, videojogos, estruturas reais (como atracões de parques temáticos) e várias outras referencias noutros media, para além de ser o primeiro vilão a ter a sua própria série de banda desenhada, The Joker (1975-1976). 

As revistas Wizard e Complex colocaram-no em primeiro lugar nas suas listas dos "Melhores Vilões da Banda Desenhada". E em segundo, atrás de Magneto, numa lista da IGN. E a Empire em oitavo na sua lista dos "50 Melhores Personagens de Sempre da Banda Desenhada". O Joker tem servido como adversário do Batman no cinema, na animação e nos videojogos, incluindo nas séries de televisão Batman (1960) (interpretado por Cesar Romero) e Gotham (2014) interpretado por Cameron Monaghan.

No cinema por Jack Nicholson em Batman (1989), por Heath Ledger em The Dark Knight (2008), por Jared Leto em Suicide Squad (2016) e Joaquin Phoenix em Joker (2019). Mark Hamill, Michael Emerson, Troy Baker, entre outros, já deram a sua voz ao personagem animado.

O artigo completo está em: Wikipédia, a enciclopédia livre.

CORINGA (Filme 2019)

Direção: Todd Phillips

Elenco: Joaquin Phoenix, Robert De Niro, Zazie Beetz

Em Coringa, Arthur Fleck (Joaquin Phoenix) trabalha como palhaço para uma agência de talentos e, toda semana, precisa comparecer a uma agente social, devido aos seus conhecidos problemas mentais. Após ser demitido, Fleck reage mal à gozação de três homens em pleno metrô e os mata. Os assassinatos iniciam um movimento popular contra a elite de Gotham City, da qual Thomas Wayne (Brett Cullen) é seu maior representante.

Coringa recebeu dois Oscar em 2019

Melhor ator: Joaquin Phoenix
Melhor trilha sonora Original: Hildur Guðnadóttir




Topo